Edição anterior (2369):
quinta-feira, 06 de maio de 2021
Ed. 2369:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2369): quinta-feira, 06 de maio de 2021

Ed.2369:

Compartilhe:

Voltar:


  Cidade

Vereadores encontram irregularidades no Centro de Saúde

Mamógrafo parado e falta de medicamentos

 

Na última quarta-feira (5), os vereadores Dr. Mauro Peralta (PRTB) e Eduardo do Blog (Republicanos), realizaram uma fiscalização no Centro de Saúde Prof. Manoel José Ferreira, no Centro, após reclamações de pacientes sobre falta de bolsas de colostomia adulto e infantil. Durante a ação os parlamentares acabaram identificando outros problemas graves que prejudicam o atendimento à população.

“A licitação para a aquisição de bolsas de colostomia, feita ainda em 2019, já foi concluída, mas a empresa tem um prazo para a entrega. Na prática, a falta de gestão prejudica toda a população já que, ciente das dificuldades e possibilidades de licitação deserta, o processo deveria ser antecipado. É um absurdo esperar faltar para correr atrás de uma solução. O mais humilde é quem sofre! São 250 customizados nesse momento”, explica o vereador Peralta, que é médico e presidente da Comissão de Saúde da Câmara Municipal, lembrando que muitas coisas precisam de atenção urgente. “Paredes mofadas, falta de vários medicamentos, apenas um clínico para atender toda a demanda. Em toda rede, apenas um mastologista tem a responsabilidade de atender as pacientes que, só no Centro de Saúde, ultrapassam 300 pessoas”, completa.

Enquanto centenas de mulheres aguardam para realizar mamografia na rede pública do município, um mamógrafo novo, já montado, depende da compra de um dosímetro para começar a operar.

“A falta de um dosímetro – dispositivo que tem o objetivo de captar os níveis de radiação emitidos e, dessa forma, permitir ações que visem à proteção do profissional – algo relativamente barato, diante dos benefícios, é o motivo de existir um mamógrafo novo, ainda parado. Isso sem contar questões básicas para garantir aos profissionais a possibilidade de prestar um bom serviço. Uma estrutura de atendimento para milhares de pessoas por mês tem apenas uma mesa telefônica, antiga, e uma única funcionária na parte da manhã para operar. Com isso, quando a população precisa ligar e tirar uma dívida, evitando o deslocamento desnecessário, o transtorno de não ser atendimento é grande e colabora para a superlotação do Centro de Saúde”, frisa Eduardo do Blog, afirmando também que todas as contrariedades encontradas serão protocoladas na Câmara de Vereadores, em forma de Indicação por ambos e encaminhadas para a Secretaria de Saúde e para o Gabinete do Prefeito.

Segundo dados oficiais relatados pela direção do Centro de Saúde, em 2019, o Centro de Saúde realizou mais de 50 mil atendimentos.

Questionada sobre as denúncias, a Secretaria de Saúde não respondeu até o fechamento desta edição.

 



Edição anterior (2369):
quinta-feira, 06 de maio de 2021
Ed. 2369:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2369): quinta-feira, 06 de maio de 2021

Ed.2369:

Compartilhe:

Voltar: