Edição anterior (2624):
sexta-feira, 14 de janeiro de 2022
Ed. 2624:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2624): sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

Ed.2624:

Compartilhe:

Voltar:


  Colunistas
Vida Militar
... e outros assuntos

 Eng. Mil. Jorge da Rocha Santos
amirp.petropolis@gmail.com

 

14 de janeiro de 2022.
 
 ANIVERSARIANTES AMIRP – Dia 15 - Maria Lúcia Coelho Vieira; dia 16 - Vera Lúcia de Pinho Fernandes; dia 17 - Armando Sergio Lopes Collares; dia 18 - Albertina Eckhardt. A Coluna Vida Militar e a AMIRP parabenizam a todos desejando saúde e felicidades. 

 


 

ENERGIA SOLAR PARA OS PELOTÕES DE FRONTEIRA (Noticiário do Exército, 27 de dezembro de 2021) - O Parque Regional de Manutenção da 12ª Região Militar e o 2º Grupamento de Engenharia , sediados em Manaus, AM,  receberam a visita técnica do Vice-Presidente Internacional da Câmara de Comércio de Indústria Brasil-Coréia, Sr. Dae Woong Kim, e do Diretor Executivo (CEO - “Chief Executive Officer”) da Empresa KYUNG I1 GREEN TECH, Sr. Eon Kyu Shim, para apresentar o sistema de armazenamento de energia de alta capacidade produzido na Coréia do Sul. Os equipamentos estão em avaliação para possível uso nos sistemas de geração de energia solar nos Pelotões Especiais de Fronteira do Comando Militar da Amazônia. O projeto de geração de energia solar do Exército Brasileiro visa proporcionar mais conforto à família militar residente nos PEF, que não tem acesso à energia elétrica e depende de micro usinas e geradores para suprir suas necessidades. 

 


 

FORÇA AÉREA BRASILEIRA, PROJETO 14 -X (Cel. Eng. Mil. Jorge da Rocha Santos; fontes: Força Aérea Brasileira; Wikipédia) - O 14-X é um protótipo de veículo aéreo não tripulado  hipersônico  em desenvolvimento. Trata-se do Projeto Propulsão Hipersônica 14-X, um dos Projetos Estratégicos da FAB e coordenado pelo Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial.  Assim foi nomeado em homenagem ao 14-Bis de Alberto Santos-Dumont.  Esta aeronave será equipada com um motor “scramjet” (motor projetado para operar na faixa de 3 a 15 vezes a velocidade do som), que é integrado na fuselagem e não tem partes móveis.
O princípio de funcionamento é que, durante o voo, o ar é comprimido pela geometria e velocidade do veículo dirigido para o motor na parte inferior da aeronave. O hidrogênio é utilizado como combustível. O veículo utiliza o "conceito waverider" (uma onda de atrito, na parte inferior da aeronave fornecendo a sustentabilidade). Tanto a aeronave quanto o motor são de construção totalmente brasileira. No dia 14 de dezembro de 2021, a Força Aérea Brasileira (FAB), realizou no Centro de Lançamento de Alcântara, Alcântara, MA, o lançamento para ensaio em voo do 14-X S, primeiro demonstrador brasileiro da tecnologia hipersônica aspirada. A aeronave foi lançada por um foguete, isso porque os motores “scramjet” necessitam de um impulso inicial até que atinjam o ponto de combustão. O 14-X S foi acelerado a uma velocidade próxima a Mach 6 (seis vezes a velocidade do som), a mais de 30 km de altitude, por meio de um Veículo Acelerador Hipersônico.  Ele será capaz de atingir dez vezes a velocidade do som (12.258 km/h). Após a realização do ensaio, o conjunto seguiu a trajetória prevista, atingindo o apogeu em 160 km, percorrendo um total de 200 km de distância, até seu impacto numa área segura no Oceano Atlântico. Com o desenvolvimento desta tecnologia, o Brasil passa a ter a oportunidade inédita de seguir na dianteira de uma linha de pesquisa avançada em um momento estratégico, pois atualmente nenhum país no mundo domina a tecnologia dos motores hipersônicos. Os outros países que buscam dominar essa tecnologia são os Estados Unidos, Japão, Austrália, Rússia, França e China.  

 


 

UM MILHÃO DE ARMAS (Cel. Eng. Mil. Jorge da Rocha Santos) - Em 24 de dezembro de 2021, um telejornal alarmista trombeteou em seu noticiário: “passa de um milhão o número de armas de fogo legais em mãos dos civis”. Alardeou, em conotação acusatória depreciativa, como se fossem marginais, bandidos inescrupulosos, os cidadãos, que dentro dos direitos que a cidadania a eles confere, adquiriram e têm para sua defesa uma arma de fogo. O pano de fundo, político por sinal, foi a diminuição da burocracia para a compra de uma arma, deixando implícito que esse aumento seria o responsável pela onda de violência que assola a sociedade.
Insiste no desrespeito à vontade da população que expressivamente se manifestou contra o Estatuto do Desarmamento, no referendo realizado em 23 de outubro de 2005, não aprovando o artigo 35 daquele Estatuto, apesar de toda campanha publicitária desencadeada pela emissora do telejornal alarmista e incrementada pela participação de artistas famosos, pois não obstante toda força da sua publicidade, a população respondeu com um estrondoso NÃO, à supressão do seu direito à autodefesa, 64% votou contra o artigo 35, ou seja, cerca de 2/3 da população brasileira. Assim sendo, voltando ao fato, vemos que em relação à população atual, cerca de 213 milhões 300 mil habitantes, um milhão e cem mil armas legais representa 0,54% da mesma, ou seja 1 arma a cada 200 pessoas. Em dezembro de 2018 era de 697 mil o número de armas chegando a 1 milhão em dezembro de 2020. Todas essas armas o Exército e a Polícia, seja Federal ou Estadual, sabem quem é o comprador. As armas vistas em mãos da bandidagem, tais como, fuzis, metralhadoras, pistolas de calibres iguais ou maiores que 9 mm são armas ilegais, que chegaram ao Brasil contrabandeadas. A sanha contra a posse de arma, vociferada pela esquerda, a intimidação do cidadão pelas leis em vigor, que dificulta e até impossibilita a aquisição legal de uma arma, trouxe como consequência o expressivo aumento do número de assaltos às residências, aos veículos no trânsito, arrastões nas praias e nos logradouros comerciais porque deu certeza ao marginal de que a população está inerme, indefesa, acuada e amedrontada, pois o estatuto do desarmamento está a favor dele. 

 


 

 
“As leis que proíbem o porte de armas desarmam apenas aqueles que não estão inclinados ou determinados a cometer crimes” (Thomas Jefferson)


Edição anterior (2624):
sexta-feira, 14 de janeiro de 2022
Ed. 2624:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2624): sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

Ed.2624:

Compartilhe:

Voltar:

Veja também: